quarta-feira, 5 de novembro de 2008

O recreio dirigido:novas aprendizagens


O RECREIO DIRIGIDO: NOVAS APRENDIZAGENS
1Daniela Rocha de Souza
“Amai a infância; favorecei seus jogos,seus prazeres,seu amável instinto. Quem de vós não se sentiu saudoso,às vezes,dessa idade em que o riso está sempre nos lábios e a alma sempre em paz. Por que arrancar destes pequenos inocentes o gozo tão curto que lhe escapa, de um bem tão precioso de que não se podem abusar”( Rousseau, 1992:61).
Introdução
Este texto procura relatar algumas vivências em relação à importância do recreio dirigido, e no qual são proporcionado atividades lúdicas para as crianças do ensino fundamental, considerando esta prática privilegiada para uma educação que visa o desenvolvimento pessoal e a atuação cooperativa.
Dessa forma procuro apontar os objetivos que os jogos e brincadeiras proporcionam na hora do recreio, ao demonstrar que o brincar não se restringe apenas a atividades agitadas e barulhentas, ás vezes desorganizadas, no pátio da escola. Isto poderá levar o educador a perceber que já utiliza todas essas atividades que dão prazer as crianças, passando a aproveitar melhor as oportunidades que surgem no seu cotidiano, incentivando, motivando e coordenando atividades lúdicas com seus alunos e fazendo com que eles participem de maneira ativa para o desenvolvimento da iniciativa dos próprios alunos.
A partir da minha prática de aluna estagiária...
Ainda no magistério, por ocasião no estágio supervisionado, tive a oportunidade de vivenciar o recreio dirigido das crianças de ensino fundamental, nas escolas onde estagiei: havia corda, bambolê, jogos de dama e xadrez, e ainda visitação á biblioteca. Através desta experiência pude perceber que jogos e brincadeiras são importantes instrumentos de desenvolvimento das crianças, não é apenas fonte de diversão, mas também podem ser exploradas de diversas maneiras educativas.
“Como, pois, conciliar essa necessidade de jogar é irresistível na criança com a educação que deve dar-lhe?. Muito simplesmente fazendo do jogo o meio de educar a criança. O jogo é um fim em si mesmo para a criança; para nós, deve ser um meio. Daí este nome de “jogos educativos”, que tende a ocupar cada vez mais espaço em nossa linguagem de pedagogia maternal. Não se trata,portanto, de deixar a criança livre de sua atividade,abandonada a si mesma; A criança deve jogar,mas todas as vezes que você dá uma ocupação que tem a aparência de um jogo, você satisfaz essa necessidade e, ao mesmo tempo, cumpre seu papel educativo” (Brougére, 1998:122) apud, Vânia Dohme.
De acordo com (Ferreira,2000) “Uma experiência que tem ressignificado: O recreio nas série iniciais do ensino fundamental, traz apontamentos sobre a importância do projeto desenvolvido para minimizar as ocorrências no recreio. O espaço tem um papel fundamental na formação da criançada, ressignificando o recreio.
“...Partindo da concepção da palavra recreio que é divertimento,prazer,período para recrear que significa, segundo Ferreira(2000,p.588a), proporcionar recreio ou prazer a; sentir prazer ou satisfação; divertir-se; e, considerando também a tarefa da escola de oferecer um espaço-tempo para que essas atividades ocorram,faz-se necessário (re)pensar o que apresentávamos aos estudantes quando do “recreio”.P 214 Trajetórias de trabalhos pedagógicas.
A minha prática, de professora...
Em minha prática tenho vivenciado situações semelhantes à de Ferreira. Geralmente no recreio a criança quer apenas se divertir, e quando o espaço não é preparado elas ficam ociosas, correndo e brigando. Nessas ocasiões as professoras, liberam o alunos para o pátio, no recreio, permanecem por alguns minutos e depois se dirigem para a sala das professoras. No entanto geralmente são interrompidas pelo inspetor, que traz os alunos que brigaram ou se machucaram correndo e esta prática se torna rotina, fazendo parte do cotidiano da escola.
Na EMEF Parque dos Pinheiros, onde desenvolvo o trabalho como integrante do projeto Tecnologias e Mídias Interativas na Escola(TIME), em uma conversa com a diretora da escola, perguntei porque as crianças não tinham um recreio dirigido. Ao que ela respondeu que já havia observado que as crianças ficavam ociosas, e brigavam muito e que poderia providenciar o recreio dirigido, pois já havia pecebido que o momento do recreio não estava sendo um momento prazeroso e apenas limitava- se ao ato de fazer o lanche.
Decidimos então incorporar atividades atrativas como jogos para auxiliar no convívio social e auxilio a aprendizagem em sala de aula, combatendo assim o ócio e a indisciplina, diante desses acontecimentos, procuramos repensar o sentido do recreio, pois percebemos a importância do brincar nesse espaço. Surgiram então, idéias de se trazer para o recreio brincadeiras como: amarelinha, pula corda, bola de gude e jogos de tabuleiro. Sabe-se que atualmente, as crianças procuram brincadeiras que envolvem a competição, estas brincadeiras geralmente causam rivalidade entre elas, Assim a escola adotou um novo olhar para o recreio ao invés de levar todos os dias grupos de crianças que brigam e se machucam no recreio para a direção, agora a escola proporciona atividades dirigidas, durante o intervalo.
“Foi constatado que desde o primeiro ano de escolarização as brigas e as discussões surgem muito cedo entre as crianças, tanto no pátio da escola como dentro da sala de aula. Manifestações espontâneas da vontade de apropriar-se de um objeto ou de um território, de impor seu projeto, são, com freqüência, a única maneira, embora arcaica, que a criança encontra para regular seus conflitos”Olivier,2000,p.11.
As mudanças...
Dessa maneira passamos a proporcionar aos alunos um momento de diversão, alegria e interação entre as classes, mantendo a respeito e organização em acordo entre professores e crianças de acordo com regras pré -estabelecidas pelos professores, dessa forma fomos estimulando a coletividade, autonomia e habilidades de cada aluno, utilizando os materiais disponíveis. Acredito que os alunos também tornaram-se mais conscientizados quanto à conservação do espaço e de cada material, as crianças brincam com bolas de handebol, basquete, voleibol e de borracha, além de petecas, bambolês, jogos de xadrez e damas, giz de cera, cordas e inclusive foi traçado e pintado no chão do pátio da escola, jogo de amarelinha e caracol e entre os objetivos estão o de melhorar o relacionamento e o convívio dos estudantes e estimulando a criatividade, o sentido ético e estético da vida, por meio de jogos interativos. Entre os objetivos estão o de melhorar o relacionamento e o convívio dos estudantes e estimular a criatividade, o sentido ético e estético da vida, por meio de jogos interativos, música, dança. Quando a criança participa do jogo, ela tem o objetivo de obter prazer, os jogos e brincadeiras são um veículo capaz de levar à criança uma mensagem educacional, de valores, atitudes e regras. Dentre todos os objetivos o principal está em fazer com que os alunos aproveitem de uma forma sadia o tempo do intervalo. Os alunos são acompanhados pelos professores, funcionários e inspetores de alunos, para que não ocorra nenhum incidente grave. No entanto quando as brincadeiras não possui a intervenção de um adulto,as crianças fogem as regras do jogo,brigam,escondem a bola e não cedem espaço para o colega brincar, ficam correndo de um lado para outro com a bola na mão. Dessa maneira percebo que é preciso trabalhar a autonomia das crianças diante tal acontecimento.
Ao brincar a criança tem uma aprendizagem exploratória, que favorece o seu pensamento cognitivo. Sabemos que a brincadeira tem papel preponderante na perspectiva de uma aprendizagem exploratória, ao participar de jogos e brincadeiras as crianças desenvolvem a sua autonomia, favorecendo a noção de responsabilidade na adoção de posturas favoráveis ao sucesso. A criança aceita as regras quando as compreende e concorda com elas.
“As atividades lúdica, pelas suas próprias características,podem possibilitar o convívio com as mais diversas habilidades. Elas poderão atender tanto as crianças que tem pendores para a arte, como aquelas que têm muita destreza física.”Ferreira,2000, p.115.
Dessa forma a criança passa a interessar e mudar posturas, diante dos colegas diminuindo as brigas e atritos ocorridas no pátio e no interior das salas de aula. Assim a escola estará contribuindo para o desenvolvimento social e cultural, conseqüentemente para uma melhor sociedade. No entanto o recreio é um espaço lúdico podendo através dos jogos proporcionar a aquisição de regras, a expressão do imaginário, a exploração e solução de problemas, bem como, a apropriação do conhecimento além de:desenvolver atitudes construtivas,o senso crítico,valorizando o uso da expressões de cortesia, favorecendo a capacidade de liderança. A criança passa então a se interessar por ouvir opiniões e sentimentos, estimulando a inteligência, curiosidade, a iniciativa e a auto-confiança.
No que se refere a questão das brincadeiras e jogos durante o recreio pode-se também integrar os alunos das diversas turmas e idades em um momento de lazer desenvolvendo postura mais harmoniosa.
Concordando com Dohme, 2003, p.80 .“Os jogos colaboram com o desenvolvimento de habilidades onde se empregam a força:puxar, levantar, empurrar, a agilidade:corres, saltar, rastejar; a destreza; atirar, mirar, esquivar. Como também habilidades físicas que exigem maior sensibilidade,como por exemplo, jogos onde as crianças necessitam se ocultar ou executar alguma atividade ligada a psicomotricidade fina, como:enfiar uma agulha,equilibrar um ovo e etc.”
“Os Parâmetros Curriculares Nacionais para o ensino fundamental vêem a escola como instrumento de construção da cidadania, buscando formar”cidadãos capazes de atuar com competência e dignidade na sociedade(PCN,VOL 1:45).
“No contexto da proposta dos Parâmetros Curriculares Nacionais se concebe a educação escolar como uma prática que tem a possibilidade de criar condições para que todos os alunos desenvolvam suas capacidades e aprendam os conteúdos necessários para construir os instrumentos de compreensão da realidade e de participação em relações sociais,políticas e culturais diversificadas e cada vez mais amplas, condições estas fundamentais para o exercício da cidadania na construção de uma sociedade democrática e não excludente(Brasil,2000:45).
Considerações Finais
Através das atividades realizadas na E.M.E.F Parque dos Pinheiros, pudemos perceber que, as crianças adquirem novos saberes, atitudes, conhecimentos e novas habilidades, dessa forma a escola fica mais organizada pois diminuem as brigas, tombos e crianças ociosas correndo pela escola, além de que os alunos desenvolvem a autonomia, estabelecendo novas aprendizagens.
'' As vivências vão possibilitando o desenvolvimento físico,mental, emocional e social dos estudantes, constituindo-se em um meio de aprender a viver, para além de um mero passatempo, além do aprendizado proporcionado a nós, adultos envolvidos”Ferreira, 2007,p.219.
A partir dessa experiência, tenho algumas sugestões para contemplar ainda mais o recreio dirigido da escola EMEF Parque dos Pinheiros: poderíamos ter por exemplo, um intervalo Musical: uma oportunidade para alunos, professores, comunidade, família manifestarem seus trabalhos. As crianças poderiam recitar poemas de grandes nomes da literatura brasileira e também de autoria própria, poderiam fazer apresentação de grupos de teatro e dança, rádio web e apresentação de filmes, de acordo com o eixo temático do mês.(Curta).

Referências Bibliográficas
DOHME,Vânia,Atividades Lúdicas na Educação:O caminho de tijolos amarelos do aprendizado. Ed.Vozes, Petrópolis,RJ,2003.
OLIVIER, Jean-Claude, Das brigas aos jogos com regras:enfrentando a indisciplina na escola/Jean-Claude;trad. Heloísa Monteiro Rosário.-Porto Alegre:Artes Médicas Sul,2000.
FERREIRA,Oliveira e Inácio,Narrativas Docentes. Uma experiência que tem ressignificado, Mercado de Letras ,Campinas,SP:,2007.

1Professora de Educação Infantil da E.M.E.I.F “Novo Ângulo” e professora integrante do projeto Tecnologias e Mídias Interativas na escola (TIME) da escola E.M.E.F Parque dos Pinheiros.

Um comentário:

katia disse...

eu amei,esse assunto,pois esta otimo e muito bem explicado.Olha parabens a esse conteudo,eu esta com um livro da autora Janet r.Moyles que afinal é muito bom,e nao havia conseguido ententer um dos trechos graças a seu texto ententi muito sobre o assunto e gostaria de entender mais.